PANDEMIA

06/04/2022

Por Fabrício Magayevski

Comportamento do consumidor e a evolução do e-commerce

A pandemia mudou rapidamente o comportamento do consumidor na internet. Desde o início da crise causada pela COVID-19, o e-commerce observou um crescimento de 27%, trazendo aspectos positivos e algumas mudanças que provavelmente vieram para ficar. Com a reabertura das lojas físicas, ainda é difícil saber como o e-commerce fechará o ano, mas a tendência é que ele continue crescendo e se modificando. Confira quais mudanças devem se manter em alta mesmo após o fim da pandemia:

Maior rapidez nas entregas

Por muito tempo, comprar algo pela internet foi sinônimo de entrega demorada. O consumidor já comprava ciente de que seu produto poderia levar vários dias (e até semanas) para chegar ao endereço de destino. Atualmente, a maioria das lojas virtuais já consegue garantir uma entrega rápida graças a uma logística aprimorada que evoluiu bastante no contexto da pandemia, quando muitas lojas se viram obrigadas a fechar as portas.

Omnichannel

Mesmo com as entregas cada vez mais rápidas, algumas pessoas optam pela retirada do produto em loja física, realizando um pedido online, pagando com PIX ou QR Code e retirando presencialmente. Essa integração entre online e offline é chamada de omnichannel e já dá indícios de que não vai desaparecer tão rápido.

Chatbot

Com o crescimento do e-commerce surge também uma nova demanda por atendimento que vem sendo bem conduzida graças aos chatbots. Eles ajudam a automatizar as vendas através de um programa de computador que tenta simular um ser humano na conversação com as pessoas. Como os chatbots estão disponíveis 24h, acabam sendo um grande atrativo para os consumidores.

Todas estas transformações são tendências que devem seguir numa crescente evolução e as empresas que estiverem preparadas para se manter neste cenário, sempre de olho no comportamento do consumidor, terão grandes chances de crescimento no meio.